Alguns tipos de links de hiperlinks são amplamente usados em mídias digitais:
Links estruturais, que apontam para áreas no mesmo site ou fora dele – em menus e barras de navegação. Compõem a navegação primária e secundária dos canais, especialmente de grandes websites, em que a quantidade de conteúdo não pode ser organizada com apenas um menu. Links estruturais são relativamente independentes do conteúdo da página em que se encontram e são comumente mostrados como um conjunto de botões, uma lista, ou um menu. Fáceis de usar, normalmente ficam situados em locais da interface que atraem os olhos, como o alto à esquerda.  
Links estruturais
Universo informacional – visão contextual do conjunto dinâmico de canais e suas unidades de informação
Links da navegação primária e secundária – A navegação primária é composta pelo conteúdo em que a maioria dos usuários está interessada, o principal motivo que os faz procurar o web site ou aplicativo. A navegação secundária é composta pelo conteúdo que complementa o da navegação primária, com  informações sobre a empresa, políticas de privacidade, políticas de segurança, como anunciar, contato. A discriminação entre navegação primária e secundária varia de acordo com os objetivos de cada canal e os objetivos do público que utiliza cada canal. Links da navegação global e local – A navegação global aparece em cada uma das páginas de um web site. Permite que o usuário se desloque entre as principais áreas e provê uma percepção sobre o conteúdo geral, especialmente para quem chega a partir dos resultados das ferramentas de busca. Links de submenus, caso apareçam em todas as páginas, também fazem parte da navegação global. A navegação local só aparece nas páginas internas de uma área específica. Permite a percepção do conteúdo de uma página dentro do contexto de cada categoria a que pertence, e a diminuição do número de links das categorias globais. Links de suporte à navegação, que ajudam o deslocamento entre as páginas, compostos de setas (para navegação sequencial ou botões de “Voltar”/ Avançar) ou menus de atalhos, por exemplo. Podem ser não-contextuais. Links profundos (deep links), para a localização de conteúdo, como um artigo específico, por exemplo, num site muito extenso. Embora o usuário possa recorrer às ferramentas de navegação disponíveis, que seguem ordem temática ou cronológica, há muitas chances de não encontrar o que procura. Já se clica num link compartilhado no Twitter, ou enviado por email, ou anunciado na home page ou em página de resultado de buscas, suas chances de encontrá-lo são maiores. Mais efetivos em ambientes desktop, links profundos permitem que usuários tenham alcance direto a conteúdo relativamente escondido nas/pelas estruturas de navegação. Nos aplicativos móveis, autocentrados em seus próprios ambientes, geralmente o usuário acessa facilmente a home page, onde espera-se que haja indicações para encontrar o que procura, embora na maioria dos casos se restrinja ao ambiente do próprio aplicativo. Algumas empresas desenvolvem soluções para a conexão de informações entre aplicativos. Estas conexões de& conteúdo específico entre aplicativos também constituem links profundos. (2) Links de chamada à ação, comuns em sites de comércio, para que o consumidor compre um artigo, ou assine uma newsletter, ou acompanhe a empresa nas redes sociais. Mensagens muito agressivas podem não ser tão efetivas quanto as que levam o público ao conhecimento gradual da marca e dos produtos.
No teste indicado pela tela abaixo, as duas telas examinam a chamada com fundo roxo: "Mais informação" ou "Compre". A maioria dos usuários do site, e também dos que realizaram o teste, acharam mais prudente obter mais informações sobre o produto antes de realizar a compra.
No teste indicado acima, as duas telas examinam a chamada com fundo roxo: com texto “Mais informação” ou “Compre”. A maioria dos usuários do site, e também dos que realizaram o teste, acharam mais prudente obter mais informações sobre o produto antes de realizar a compra. A versão A foi a vencedora. (acesso em 15.4.2015)
Links em textos, como palavras ou frases que indicam conteúdo relacionado – são vinculados ao contexto onde se situam, podem ser anotados, mas não classificados nem ocultos. São normalmente sublinhados ou colori-los, de modo a sinalizar seu potencial de seleção pelos usuários. Links “Veja também”, para conteúdo ligado ao mesmo assunto, dentro ou fora do site (não estão dentro do texto ou das barras de navegação principais). Os links de referência, abaixo, são exemplos deste tipo de link. (Atualizado em 26.2.2017)
 

Referências

2) Deep links yield deep data—but they will also know a lot about you, de Luiz Antônio Moro Palazzo – descreve a área da ciência da computação dedicada ao estudo e desenvolvimento de sistemas, arquiteturas, métodos e técnicas relacionados à adaptação de documentos e mídias eletrônicos às demandas dos usuários (acesso em 20.11.2008) 1) Sistemas de hipermídia adaptativa, de Luiz Antônio Moro Palazzo – descreve a área da ciência da computação dedicada ao estudo e desenvolvimento de sistemas, arquiteturas, métodos e técnicas relacionados à adaptação de documentos e mídias eletrônicos às demandas dos usuários (acesso em 20.11.2008)