Escolher uma  marca e domínios de fácil digitação, indexação e memorização – Apesar do uso generalizado de ferramentas de busca, muitos usuários localizam canais familiares digitando os endereços ou procurando os aplicativos com base na memória, o que reforça a importância da marca e sua imagem virem rapidamente à cabeça do cliente. Nomes de marcas e domínios simples ficam mais tempo na memória dos clientes e são mais fáceis de digitar. Ficam também mais fáceis de lembrar quando lidos em botões, redes sociais, revistas, cartões de visitas, releases, brochuras, artigos de jornais. E são rapidamente indexáveis pelos principais buscadores da internet.
Uma análise de 833 anúncios impressos em 7 edições da revista Magazine Publishers of America mostrou que a inclusão de URLs nos anúncios ajudou a direcionar leitores para os websites.
Nomes pequenos em domínios para acesso por dispositivos móveis, também levam os usuários a digitá-los facilmente. Divulgar o canal em outros canais online – A presença de um produto digital não existe por si só, mas como nó de uma rede de relacionamentos. Em vez de seguirem ações isoladas, de difícil aferição e avaliação, os esforços de marketing online precisam seguir um sistema articulado para alcançar seus objetivos. (ver Canais da presença online sistemática) Pode-se publicar um blog ou hot site caso hajam eventos e notícias veiculadas relacionadas ao lançamento. Páginas ativas no Facebook e em outras redes sociais criam diálogo com o público, a presença regular no Twitter fixa a marca. Os banners, apesar de pouco clicados (e menos vistos) ainda são presença online viva e associada a eventos, produtos, segmentos. Malas diretas também estabelecem relacionamentos personalizados com cada cliente, embora seu envio consentido seja cada vez menos utilizado. A estratégia integrada de mídias e canais online e offline valoriza as características de linguagem e técnicas de cada um, bem como as circunstâncias de acesso de cada cliente. Divulgar o produto em outros veículos offline, como rádio, TV, dispositivos móveis, mídias impressas. Pesquisa da LinkedIn Research Network/ Harris Poll em 2009 mostrou que a maioria dos anunciantes (92%) usavam campanhas da internet combinadas com anúncios impressos (88%). (2) Enviar press-releases para publicações especializadas, online ou offline, com as atividades regulares do site ou para promover atividades e campanhas especiais. Os textos sintéticos, sem palavras ou frases desnecessárias, ajudam a otimizar a experiência de uso. Informações comuns em releases:

Citações de declarações do presidente ou de outro profissional da empresa conhecido no mercado.

Testemunhos favoráveis dos clientes

Comentários sobre os produtos oferecidos

Prêmios e outros exemplos do reconhecimento da indústria

Ofertas ou descontos em serviços

Email, endereços e telefones para contato

Outros recursos que ajudam a divulgação de press-releases:

Links para páginas do website que ofereçam e divulguem os serviços (estes links, uma vez publicados em outros sites, ajudam a trazer acessos)

Imagens dos serviços oferecidos

Vídeos e áudios de avaliações de produtos, demonstrações, entrevistas com pessoas da empresa ou clientes

Ferramentas que facilitem a marcação do texto por sites de mídias sociais, como Digg, Delicious, Technorati.

Comunicar o lançamento do produto para buscadores e parceiros, estimular a publicação da URL em outros canais. Preparar o produto para indexação pelas principais ferramentas de busca (SEO), para seu posicionamento nos primeiros lugares nas páginas de resultados em buscas das principais palavras-chave relacionadas aos seus objetivos. Como complemento desta ação, está a adesão a programas de aquisição de palavras-chave como o Google AdWords e o Yahoo Search Marketing (SM). O Adwords, sistema de anúncios vinculados às palavras-chave usadas nas buscas, permite que o anunciante só pague o veículo quando realmente recebe um visitante no site. Estabelecer indicadores para as ações realizadas, para medir e avaliar as que funcionam melhor, os canais que chegam de modo mais eficiente ao público alvo e permitir o aperfeiçoamento do produto online em questão ou de produtos futuros. Com base nas métricas das ações realizadas, estabelecer uma estratégia de longo prazo para a presença online (e offline) do produto, alimentando gradativamente e de modo consistente, um sistema de informações e opiniões para novas ações online e o aperfeiçoamento da presença já existente. Uma estratégia de publicação e de marketing online coerente com os objetivos da organização e, mais especificamente, dos canais veiculados, avalia em bases regulares a apresentação do produto, dimensionando a alocação dos recursos necessários para o conjunto de ações necessárias à realização dos seus objetivos. (Atualizado em 16.7.2014)  

Referências

Managing virtual events, de Joerg Rathenberg (Projects@Work, acesso em 8.5.2010) 3) Social networks, blogs more popular than e-mail, de Dave Rosenberg (CNet, acesso em 29.12.2009) 1) Errando no basicão (Revista ProXXIma, 10.2009) 2) More advertisers turning to internet, de Mike Sachoff (WebProNews, acesso em 28.7.2009) Infographic: 40% of Facebook users ditch brand pages, por Douglas Crets (ReadWriteWeb, acesso em 14.10.2011) Seth Godin, “10 Bestsellers: Using new media, new marketing, and new thinking to create 10 bestselling booksview (blip.tv, acesso em 29.11.2009) Otimizador de website do Google – ferramenta que permite a designers e gestores testar o acesso a variações de páginas web com o mesmo endereço e verificar quais geram maior número de conversões