Uma ferramenta de busca ou buscador é um mecanismo de recuperação de informações que aceita uma pesquisa, compara-a com os arquivos indexados em bancos de dados e gera uma lista de links com os resultados encontrados. Pode ser dirigida a uma página, um site, um documento de um site ou banco de dados, ou um tipo de informação, como produtos em um site de vendas.

É necessária em sites grandes, com mais de 200 páginas, complexos e atualizados frequentemente. É utilizada por 88% dos usuários que precisam achar informações, especialmente os que não conhecem um determinado site.

Além de ser usada para recuperar informações, a busca é utilizada também como ferramenta de navegação – do total de usuários, cerca de 50% navega pela ferramenta de busca e o restante pelos links (Jakob Nielsen).

Em sites de comércio a busca interna é utilizada por cerca de 43% dos usuários, que digitam o nome do produto ou a categoria à qual pertence. Por isto, precisa ser testada à exaustão, especialmente a relevância dos primeiros resultados e a clareza das explicações que acompanham os links (Marketing Sherpa, PDF, junho de 2007).

Pesquisa realizada com sites varejistas ingleses mostra que 30% dos compradores usam o buscador de sites de comércio, enquanto 30% dos que não conseguiram encontrar o que procuravam pela navegação convencional recorreram à busca.

Pesquisa global sobre os hábitos de usuários de programas leitores de tela por pessoas com deficiência visual mostra que 91% usavam a busca com maior ou menor frequência quando entravam em um website – 26% sempre a utilizavam, 25% a utilizavam frequentemente, e 31% a utilizavam de vez em quando. (2)

Para os projetistas de mídias digitais, esta ferramenta é importante fonte de informação sobre a arquitetura de informação e os assuntos/ produtos/ canais que os usuários procuram mais e como os encontram.

No entanto, seu uso excessivo pelos visitantes pode sinalizar que não estão encontrando facilmente as informações na navegação, apontando para a necessidade de aperfeiçoar a arquitetura da informação, com o cruzamento de links sobre o mesmo assunto, a inclusão de breadcrumbs e outras ferramentas.

Aspectos a considerar no projeto da ferramenta de busca interna de site ou intranet

Situar a busca no mesmo local em todas as páginas do site, em local bem visível e acessível (é comum no alto, à direita ou à esquerda), com layout bem diferente das ferramentas de navegação (barras e menus).

A busca avançada deve ser encontrada isolada em uma página, acessável através de link, mas a disponibilização de um campo de busca simples, em cada página, facilita a busca.

Não exigir conhecimentos especiais para uso (a não ser para a busca avançada). Se possível, deve repetir o modo de uso das principais ferramentas, como o Google e o Bing, com campos de texto para buscas por palavras-chave.

Por exemplo, o usuário deve poder voltar à página de resultados usando o botão “Voltar” do browser e o resultado da busca se manter estruturado, ou teclar Enter para acionar o botão de procura.

Prover um campo de entrada de palavras-chave com largura suficiente para a maioria das buscas. Uma consulta às estatísticas das palavras-chave mais usadas no site permite a adaptação deste campo às necessidades dos usuários.

Em sites de comércio, o campo deve maior que em sites de conteúdo, pois muitas vezes os consumidores digitam o nome inteiro de um produto, que pode ser composto de duas ou mais palavras. Por isto, o campo pode ter tamanho suficiente para abrigar mais de 30 caracteres. Ver o site da Digital Public Library of America, por exemplo.

Prover um botão bem visível para acionar a busca, com tamanho adequado ao uso e rótulo que identifique sua funcionalidade.

Prover um campo de entrada de palavras-chave com largura suficiente para a maioria das buscas

O site acima provê uma ferramenta de busca realmente muito grande, cujo acesso escurece a tela toda e provê resultados não em listas de links, mas em conjuntos de quadros organizados horizontalmente

No alto da página de resultados, a palavra-chave da busca deve aparecer repetida, para reafirmar o objetivo de cada busca.

Informar quantos resultados foram encontrados para a busca, para que os usuários possam saber a quantidade de conteúdo no site relacionado à busca

Mostrar os resultados por ordem de relevância, sem repetição, para que os endereços indiquem os assuntos principais das áreas. Resultados que atendam às necessidades específicas dos usuários devem ficar na primeira página, de preferência nos 5 primeiros lugares. (ver pesquisa sobre o layout das páginas de resultados das principais ferramentas de busca da internet)

Permitir a realização de outras pesquisas a partir da página de resultados (e a volta à página Principal, ou às ferramentas de navegação do site) – os resultados e o termo de busca devem poder ser vistos simultaneamente.

Não mostrar, no resultado, links que precisem de senha ou fiquem em áreas de acesso restrito. Se mostrar estes resultados, as restrições devem ser explicitadas.

Eliminar links duplicados da página de resultados.

Apontar os links para arquivos em PDF para a página com o link para o arquivo e não diretamente para o arquivo. Se o link apontar diretamente para o arquivo em PDF (ou qualquer outro formato), sinalizar o formato para que imediatamente identificados.

Inserir marcações (tags) nas páginas, nos arquivos para download e nas imagens do site para a indexação pelas ferramentas de busca. Quanto mais meta informações o buscador encontrar, mais precisamente identifica a página e relaciona os assuntos principais com os interesses dos usuários.

Utilizar as meta tags para articular o resultado das buscas, se aplicável.

Organizar os resultados de acordo com as marcações (tags) HTML ou meta tags, ao modo como estão configuradas nas áreas de informações.

Se o site tiver marcações de títulos hierarquizadas com h1, h2, h3, o resultado deve priorizar os títulos com uma destas marcações. Se o título do texto de uma página for “Usabilidade”, assinalado com h2, e um usuário fizer uma busca por esta palavra, o resultado deve priorizar esta página em detrimento de outras onde haja a palavra “Usabilidade” fora do título assinalado com h2.

Outro critério de priorização da ordem dos resultados é o título da página, <title>, no caso de cada página do site ter um título adequado a seu conteúdo (e não títulos repetitivos e padronizados). Se a palavra procurada se encontra no título, esta pode ser considerada de alta prioridade para o usuário que a digita na busca.

Pode-se também combinar ao título da página palavras-chave e textos contidos nas meta tags “Description” e “Keywords”, e estabelecer prioridades para palavras e expressões mais usadas.

Restringir o número de resultados da busca com a disponibilização de filtros para os assuntos procurados (por classificações ou parâmetros de procura específicos de determinadas áreas do site). O menu não deve ser longo demais, para não dificultar seu uso. Ver também o site da Amazon.

Restringir o número de resultados da busca

O site da Digital Public Library of America oferece diversos tipos de filtros para a realização de buscas, inclusive através de um mapa. Os resultados são sinalizados para cada tipo de formato

Mostrar, em cada registro do resultado da busca, uma amostra do texto em que se encontra a palavra ou expressão procurada.

Diferenciar as cores dos links visitados em relação aos não visitados, para facilitar o reconhecimento das páginas já visitadas e possivelmente rejeitadas.

A quantidade de resultados pode ser filtrada também com o uso do “e” como operador default, em vez de “ou”.

Titular claramente o campo de busca, para não diferenciá-lo de outros formulários.

Não omitir o botão que aciona busca, pois muitos usuários os utilizam e sentem sua falta quando não está presente. Deve ter desenho claramente diferente dos campos de entrada de informações.

Nas buscas simples, não aplicar operadores booleanos. Deixar estas funcionalidades para as buscas avançadas.

Aperfeiçoar sempre os resultados, observando, nas estatísticas de acesso, as palavras e expressões mais utilizadas. A análise dos resultados, chamado por alguns de SSA (site search analytics), inclui a inserção de palavras-chave nos textos e nas meta tags das páginas, e precisa ser feito com a equipe editorial.

É importante verificar também se os resultados das buscas mais frequentes são satisfatórios, a taxa de cliques dos resultados, os resultados mais e menos selecionados, de que páginas partem mais frequentemente as buscas.
Esta análise permite verificar padrões de comportamento e realizar ações para aperfeiçoar desde a arquitetura da informação às tecnologias utilizadas nas ferramentas de busca.

(Atualizado em 1.5.2013)

 

Referências

Are all results on search engines equal? A surprising journey within the SERPs [Best of SEW 2010 #7] (SearchEngineWatch, acesso em 2.1.2011)

2) Survey of preferences of screen readers users (acesso em 20.2.2009)

Continuous filter (User interface design patterns do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Helsinki, acesso em 6.2.2009)

Mental models for search are getting firmer (Alertbox, acesso em 15.5.2006)

Tutoriel: la recherche plein texte dans Gallica (Gallica Le blog, acesso em 1.4.2013)

Best practices for designing faceted search filters, de Greg Nudelman (UXMatters, acesso em 13.9.2009)

Best practices for designing faceted search filters, de Greg Nudelman (UXMatters, acesso em 13.9.2009)

Designing the holy search box: Examples and best practices (Smashing Magazine, acesso em 5.4.2009)

Designing the search you’ve been looking for (Google Enterprise, acesso em 5.4.2009)

1) The importance of performance in eCommerce search (Fast, arquivo em PDF, 13.8.2008)

Search behavior patterns (Boxes and Arrows, 3.2.2008)

Advancing advanced search (Boxes and Arrows, 3.2.2008)

IA heuristics for search systems (Louis Rosenfeld, 2.9.2004)

Google custom search business edition – busca do Google personalizada para cada website

 

Termos utilizados

Relevância – Seleção de informações úteis, pertinentes para uma necessidade de informação. Um documento é relevante se contribui para satisfazer a necessidade de informação de um determinado usuário. É um termo aplicado às buscas online, que procuram situar os resultados mais relevantes no alto das listas de resultados

Revocação – Capacidade de um sistema de arquivamento digital de recuperar documentos/ informações relevantes

SSA (Site Search Analytics) – Pesquisa sobre os padrões de buscas de informações nas ferramentas internas de websites. Baseia-se no fato de que cada vez que uma pessoa faz uma busca, revela o que precisa em um site, e a análise de alguns padrões de busca permite a identificação e o diagnóstico de problemas no conteúdo, na navegação, nos metadados e na própria ferramenta. Este método quantitativo de análise, aliado a métodos qualitativos como testes de usabilidade, ajuda a estabelecer referências para o aperfeiçoamento dos veículos online