A partir de user stories, preparar a interface (protótipo, modelo de papel) a ser testado. A interface a ser testada se baseia nas estórias dos usuários detalhadas nas pesquisas de usuários. Selecionar os profissionais que realizarão os testes. Dependendo da situação ou da conjuntura ambiental do projeto de mídias digitais, os testes podem ser realizados por especialistas em usabilidade ou em experiência do usuário, por especialistas em vendas e marketing ou pelos desenvolvedores. Esses profissionais não devem ter apenas uma visão geral dos objetivos do produto, mas uma compreensão clara das minúcias do uso, da navegação e da realização de tarefas pelos usuários (user stories). Devem também ter condições de documentar problemas e observações para a simulação das situações críticas observadas e a proposição de ajustes. Formular o plano de teste (conjunto de conceitos que constitui a base para a realização dos testes). Explicitar os objetivos, o modo de realização, quando, onde serão realizados, o perfil dos usuários a serem testados (segmentos, histórico, formação, experiência com o produto), verificar as user stories a testar a partir do estabelecimento de prioridades, verificar as metáforas que fazem sentido na interface, método de seleção, medidas de avaliação dos resultados. Neste momento, são previstos também o grau de aprofundamento, a ambientação e os custos do processo. O plano de teste pode ser feito antes ou ao mesmo tempo que a elaboração dos requisitos do produto, especialmente quando se aplica métodos ágeis. Algumas vezes sua elaboração pode esclarecer aspectos relacionados ao requisitos, ou mesmo alterá-los. Selecionar os usuários para o teste, em número suficiente, com o uso de um método sistemático que garanta que façam parte do público-alvo. A seleção ao acaso ou de acordo com conveniências operacionais não certifica a precisão dos resultados e pode mesmo inutilizá-los. Preparar o teste, com a estruturação das referências que vão desde o escopo geral, até as datas, lugares, condições de realização, participantes envolvidos. O plano de teste ajuda a explicitar os aspectos mais importantes a serem avaliados, bem como funciona como ferramenta de comunicação entre todos os agentes envolvidos no projeto. Aplicar o teste, incluindo a lista de tarefas nos usuários selecionados, com questões sobre as user stories que se espera que sejam aplicadas à interface em questão, sejam questões sobre estrutura, usabilidade, conteúdo, expectativas a atender, recompensas a oferecer pelo uso, potencialidades para o produto ser usado de maneira recorrente. Avaliar a conveniência de acompanhar “ao vivo” o uso da interface, com narração em voz alta dos movimentos, verificando a repetição de padrões de comportamento (testes informais, com 5 a 10 usuários para avaliações genéricas); registro em vídeo ou em áudio, uso de programa de data-logging. Criar recomendações ou ajustar as user stories a partir dos resultados (com ou sem apresentação formal dos resultados), para aperfeiçoar o produto. Depois do lançamento do produto, a realização periódica de testes da interface, de preferência por consultores ou agentes externos, permite a verificação dos padrões de comportamento dos usuários a partir de situações do cotidiano de acesso. (Atualizado em 6.12.2017)
 

Referências

Quick turnaround usability testing, Part II, Paul Nuschke (Boxes and Arrows, acesso em 20.2.2009, não mais disponível no endereço acessado) Risks of quantitative studies, Jakob Nielsen (AlertBox, acesso em 26.8.2005) Why you only need to test with 5 users (WebReference, acesso em 13.8.2005) Livro: Handbook of usability testing – How to plan, design and conduct effective tests, de Jeffrey Rubin. New York: Wiley, 1994. Discount usability: 20 years (Alertbox, acesso em 20.9.2009) Search experiments, large and small (The Official Google Blog, acesso em 27.7.2009, publicado em 26.8.2008) Adapting usability investigations for agile user-centered design (AlertBox, acesso em12.1.2009) Agile development projects and usability (AlertBox, acesso em 17.11.2008) Otimizador de website do Google – ferramenta que permite a designers e gestores testar o acesso a variações de páginas web com o mesmo endereço e verificar quais geram maior número de conversões Should designers and developers do usability? (AlertBox, acesso em 28.6.2007) Fast, cheap, and good: Yes, you can have it all, Jakob Nielsen, sobre a relação entre preço, qualidade e tempo de realização de testes de usuários (AlertBox, acesso em 2.1.2007)